27 fevereiro 2012

Deixa de achar que é grande...


"Mas ainda é possível ouvir estrelas. Deixar que a nossa luz nos oriente. Ainda podemos rir como se a alegria fosse nosso melhor adereço. Acredito que pés descalços é luxo da alma. Que estar perto é menos físico que a gente pensa.. Que olhos falam, palavras estragam, e silêncio grita. Que a gente quer amar pra sempre, abrir o peito, recitar poema, sem se preocupar com que os outros pensam. Sei que o que mais vale a pena é chamado de coisa pequena, que vira importante quando a gente deixa de achar que é grande."

(Renata Fagundes)

Um comentário:

Ricardo F. dos Passos disse...

Muito bom! São formas de amor, mas também prefiro àquelas cujos detalhes marcam e ficam na memória. Beijo!